quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Capitulo 31

Logo que Vanessa acalmou Gabriella, colocou a menina no berço novamente, deitou na cama com um imenso nó na garganta, a vontade de chorar, de sair dali, de sumir do mapa, era imensa. Aquilo parecia um longo e terrível pesadelo, o qual jamais iria despertar-se. Algumas batidas na porta fizeram com que Vanessa, se levantasse em um pulo, enxugasse as lagrimas e dissesse:

 - Quem é?
 - Vanessa sou eu. - disse Alex, vanessa revirou os olhos debochando - Daqui a meia horas vamos jantar, esteja pronta - disse ainda fora do quarto.
 - Sinto muito, não vou. - disse curta e clara
 - Ei, ei, você não entendeu. Eu não perguntei se queria ir, eu disse o horário, daqui a meia hora quero vê-la em um dos belos vestidos do closet, ou as coisas saíram um pouquinho fora do curso.
 - Esta bem - suspirou, não vendo outra alternativa, entrou para o banheiro.

Nos quinze minutos seguintes, Vanessa deixou que a agua quente do chuveiro caísse por seu corpo, misturando-se com sua magoas, medos e lagrimas. Nos poucos minutos seguintes, escolheu um vestido longo, preto. Ele (o vestido) era maravilhoso, como se fosse feito sob medida para Vanessa. Um belo decote em "V", bem marcado na cintura, esplendido.

 - Que bela - disse Alex assim que viu Vanessa descendo as longas escadarias da casa.
 - Não queria ir nesse jantar. - bufou. - Onde vamos.
 - Surpresa querida. - disse ao lado dela, colocou a mão em volta de sua cintura e disse em seu ouvido. - Garanto-lhe que essa noite será maravilhosa.
 - E meus filhos? - mudou de assunto de repente.
 - Já esta tudo certo, as babas ficaram com eles ate voltamos, e quem sabe elas não passam a noite toda com eles. - sorriu malicioso, ele procurou os olhos de Vanessa, que miravam o chão. Furioso disse. - Nesse jantar quero que pareça apaixonada, o restaurante onde iremos é muito bem frequentado, isto é, muitos de conhecidos meus possivelmente estão la, então quero que trade de tirar essa cara emburrada, e sorria. - abriu a porta da casa. - Ah e mais uma coisa, olhar de apaixonada.

Mais uma vez Vanessa revirou os olhos, em seu pensamento xingava Alex das maiores barbaridades, se ele tivesse poder de ler a mente, Vanessa estava ferrada. O restaurante escolhido, era muito conhecido, porem também tradicional, fazia parte da cultura Espanhol. Assim que chegaram, o manobrista abriu as portas do carro para Vanessa e Alex.

 - Lembre-se, sorria apaixonada - disse no ouvido de Vanessa.
 - Certamente. - disse com cara de poucos amigos.

Alex colocou a mão em volta da cintura de Vanessa e agiu restaurante à dentro. O lugar estava cheio, algumas mesas reservadas ainda vazias. Belos homens com ternos luxuosos passavam pelo local, e mulheres  com vestidos belíssimos.
Vanessa se sentiu um pouco deslocada, não gostava de restaurantes luxuosos com esse, preferia um belo jantar a luz de velas, e um bom vinho.

 - Por aqui. - disse o recepcionista os guiando ate a mesa.

A mesa escolhida era um pouco reservada, fora do alcance das janelas e da entrada. Alex puxou a cadeira para que Vanessa pudesse sentar.

 - Fiz uma otima escolha não? - Alex
 - Em relação a que?
 - A tudo, ao restaurante, a vida, e principalmente a você.
 - Considera uma boa escolha estragar minha vida e a de meus filhos. - disse sorrindo.
 - Apenas o fato de estar longe daquele lá, já me faz feliz o suficiente.
 - Caso saiba, quem ama quer o bem do outro. Diferente de você creio, que tem uma obsessão interminavel.
 - Eu não considero obsessão, mas sim amor. O mais puro e doce amor.
 - Não não, - Vanessa discordou. - Amor puro e doce? - gargalhou. - Amor era o que eu e Zac tínhamos, ele me respeitava,  me amava, me compreendia, diferente de você, que esta me ameaçando para conseguir algo que nunca foi seu.
 - Claro. - fingiu rir. - Zachary nunca de mereceu de verdade...
 - Claro, ao contrario de você. Que sempre me teve de corpo e alma. - interrompeu-o, irônica. - Eu te desprezo, eu te odeio, por mim você poderia morrer, sabe ate iria em seu velório, e sabe o que mais, cuspiria em seu tumulo. - deu um meio sorriso. - Vou ao Toillet.

Quando ela se levantava, ele segurou sua mão e disse.

 - Se tentar alguma grassinha já sabe.
 - Perfeitamente.

7 comentários:

  1. Aiin demais!
    Amo essa fic!
    Posta logo Maddy!
    Xoxo ♥

    ResponderExcluir
  2. '-' AMEEEEEEEEEI... SERIO.. QUE BOM QUE VC VOLTOU..SUA MÁ UÚ .. AI... POSTA LOGO..AMEI.. SUA FEIA FOFA U.U ;* TE LOVE VC SABE
    beijinhos :* love ya s22

    ResponderExcluir
  3. Esse Alex é uma coisa assim insorportavel, estou para ver como vai ela fugir dele se é que vai. Cap.muito bom

    ResponderExcluir
  4. Perfeito,não sei pq pus na minha cabeça que era triste(em parte é,não é o Zac que a com a Vanessa)esse alex não vale nada,vontade de meter porrada nele kkkkkk e de onde vc tirou que tava ruim?Tá perfeito
    Foi um custo escrever isso,tive que digitar letra por letra
    Bjs fofinha e como eu te falei me apaixonei pelo capítulo
    XOXOXO

    ResponderExcluir
  5. ai odeio esse alex tomara que ele morra e que zanessa volte logo adorei o capitulo bjs

    ResponderExcluir
  6. Que odio esse Alex..
    Cap muito bom
    Posta rapido
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Ai eu tô num ódio do Alex sem tamanho!
    Esse filho da mãe!
    Coitada da Vanessa!Espero que ela consiga falar com alguém!
    Ai que tenso!
    Posta logo
    Bjos amorê

    ResponderExcluir

#PrayForZanessa